Às vésperas do Carnaval, campanha busca doadores de sangue em todo o Brasil

Deixamos este artigo pronto pra você usar. Basta fazer o download ou compartilhar. :)

  • Período pós-folia é um dos mais críticos para os bancos de sangue

São Paulo, 07 de fevereiro de 2020

Em seu terceiro ano de realização, a campanha Eu dou o Sangue está em busca de doadores para ajudar no abastecimento dos bancos de sangue de todo o Brasil. A campanha acontece de 08 a 20 de fevereiro – véspera do Carnaval, um período considerado crítico, em função da ausência de doadores voluntários e do aumento da demanda por bolsas. A expectativa nessa edição é alcançar até 6 mil doadores externos, que se somariam aos mais de 9 mil funcionários do Santander Brasil que doaram na última edição de 2019. O objetivo é ampliar a base de participantes na ação e divulgar a importância do tema.

Grande parte dos doadores responde a chamados eventuais de doação para conhecidos ou a campanhas de hemocentros. E nesta 5ª edição, a campanha Eu dou o Sangue vem com a proposta não só de trazer mais doadores voluntários, mas também de criar o hábito de recorrência. “Sabemos que a necessidade é maior no período de feriados prolongados como o Carnaval e a Proclamação da República, mas há pessoas precisando de sangue durante todo o ano. Inserir a cultura da habitualidade entre os voluntários no Brasil nos levaria a um outro patamar ”, diz Vanessa Lobato, vice-presidente de Recursos Humanos do Santander Brasil. Atualmente o índice de pessoas que doam sangue constantemente no Brasil é de 1,8%, percentual que pode ser aumentado para até 3%, segundo indicação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O movimento iniciado entre os 48 mil funcionários do banco, hoje ganha força com a participação de membros da sociedade. No ano passado, mais de mil funcionários se cadastraram como mobilizadores da campanha e divulgaram a importância da doação de sangue em seus grupos de colegas, familiares, amigos e em suas redes sociais. Também se juntaram à causa empresas parceiras do Santander e universidades, que levaram o tema para seus alunos, funcionários e clientes. “Já começamos a notar um interesse crescente e o assunto vai se tornando cada vez maior. Nossa intenção é que mais organizações se somem para que a gente possa trazer um benefício comum para toda a sociedade”, acrescenta Vanessa.

Quatro vidas

O tempo médio de doação é de 40 minutos e a cada bolsa de sangue doada, é possível salvar até quatro vidas. Somando todas as quatro edições e, considerando essa conta, o Santander calcula que já foram salvas mais de 122 mil. Para orientar os interessados em doar, o Banco criou o portal www.eudouosangue.com.br. Nele é possível encontrar todas as condições gerais, de saúde e de comportamento, necessárias para realizar uma doação; também é possível fazer a busca de hemocentros em todos os estados do Brasil.

Oi, sumido!

Humor pode combinar com doação de sangue? O Santander acredita que sim. Depois de adotar uma linguagem mais institucional nos dois primeiros anos da campanha Eu dou o Sangue, o Banco entra no terceiro ano com uma abordagem mais leve para atrair o público jovem. Brincando com memes conhecidos entre eles, as peças trazem leveza para um assunto que pode ser difícil para algumas pessoas. O mote central escolhido foi o Chama Pra Doar, para estimular a mobilização em torno do tema. Pode ser a tia, o “mozão”, um amigo, o importante é a conta feita no final: 1+1=8. Ou seja, você e mais uma pessoa podem juntos salvar até oito vidas. A lógica de ir além da doação solitária também será explorada internamente no banco: a mobilização começará pelos membros do comitê executivo, que convidarão colegas para doar, gerando uma corrente de voluntariado.

Histórico – vidas salvas

1ª edição – abril/18: 13.204 vidas

2ª edição – agosto/18: 21.800 vidas

3ª edição – fevereiro/19: 33.464 vidas

4ª edição – setembro/19: 54.304 vidas

Área restrita